Make your own free website on Tripod.com

A VERDADE

Acima de Tudo!

 

 

 

...todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo! I Cor 8:6

8 - trindade no Velho Testamento?

Ricardo Nicotra

 

Talvez o argumento mais fraco utilizado pelos doutores em divindade trinitarianos esteja relacionado com a tentativa inócua de provar a trindade no Velho Testamento. Este argumento se baseia na interpretação tendenciosa da palavra hebraica echad no seguinte verso:

 

“Ouve, ó Israel: O Senhor nosso Deus é o único (echad) Senhor.” - Deuteronômio 6:4.

 

De acordo com estes teólogos existem duas palavras em hebraico que significam “único”: echad e yachid. A diferença entre elas é que echad significa “um (entre outros)”. Isto significa que quando falamos echad estamos nos referindo a um único ser mas existem outros, ou seja, a possibilidade de haver outros é inerente em echad. Já a palavra yachid é usada para designar um ser exclusivamente único. Yachid é um só e ponto final!

 

De fato, este é o significado das palavras em hebraico, mas o problema está na interpretação particular que é dada para echad. A interpretação natural, levando-se em conta o contexto, é que o nosso Deus é o único (echad) Senhor (entre outros deuses pagãos). A palavra echad sugere a existência de outros deuses e o próprio verso 14 do mesmo capítulo diz o seguinte:

 

“Não seguirás outros deuses, os deuses dos povos que estão ao teu redor.” - Deuteronômio 6:14.

 

Ora, os doutos teólogos pretendem sugerir que os “outros deuses”, conceito implícito na palavra echad, são os componentes da trindade: Deus Filho e Deus espírito Santo, além do Deus Pai que aparece de forma explicita. No entanto, através da análise do contexto de Deuteronômio 6, fica claro que os outros deuses são os deuses pagãos de Canaã e não os supostos membros de uma trindade.

Mesmo que o termo se referisse a Deus como sendo mais de um, não indicaria uma unidade de três pessoas, mas sim uma unidade de duas pessoas: Deus, o Pai e Jesus Cristo, Seu Filho, concordando com as palavras de Cristo que afirmou: Eu e o Pai somos um (João 10:30) e com o que afirmou Ellen White: “... Eles tinham operado juntos na criação da terra e de cada ser vivente sobre ela. E agora disse Deus a Seu Filho: ‘Façamos o homem à Nossa imagem’.” (WHITE, Ellen G. História da Redenção. 3ª ed. Santo André – SP, CPB, 1981. pp. 20-21).

Outro argumento utilizado pelos trinitarianos é o de que, o livro de Gênesis utiliza pronomes que se referem a Deus, no plural e que em seu contexto parecem indicar mais do que uma única pessoa em Deus, para tanto citam os seguintes textos:

 

Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra.” (Gênesis 1:26).

 

“Então, disse o SENHOR Deus: Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do bem e do mal; assim, que não estenda a mão, e tome também da árvore da vida, e coma, e viva eternamente.” (Gênesis 3:22).

 

Vinde, desçamos e confundamos ali a sua linguagem, para que um não entenda a linguagem de outro.” (Gênesis 3:22).

 

Não resta duvida de que os textos apresentados citam Deus Pai falando no plural, no entanto, nada indica que esse plural refira-se a três pessoas da divindade como querem os trinitarianos.

 

A Bíblia é clara ao afirmar que esse plural é composto de duas pessoas, o Pai e o Filho, uma vez que Cristo participou da criação com o Pai.

 

Para que não paire nenhuma duvida quanto ao que afirmamos, apresentamos os seguintes textos:

 

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez.” (João 1:1-3).

 

É interessante notar que o verso fala Ele estava no princípio com Deus” e não Eles estavam no princípio com Deus, o que seria o correto se o espírito Santo fosse uma pessoa e tivesse participado da criação.

 

“Quando ele preparava os céus, aí estava eu; quando traçava o horizonte sobre a face do abismo; quando firmava as nuvens de cima; quando estabelecia as fontes do abismo; quando fixava ao mar o seu limite, para que as águas não traspassassem os seus limites; quando compunha os fundamentos da terra; então, eu estava com ele e era seu arquiteto, dia após dia, eu era as suas delícias, folgando perante ele em todo o tempo.” (Provérbios 8:27-30).

 

“Pai e Filho empenharam-se na grandiosa, poderosa obra que tinham planejado – a criação do mundo”... E agora disse Deus a seu Filho: “Façamos o homem a nossa imagem”. (História da Redenção págs. 20 e 21).

 

O Pastor Mark Finley em seu livro Estudando Juntos - Manual de Referência Bíblica, publicado pela Casa Publicadora Brasileira, páginas 152 e 153, ao citar Deuteronômio 6:4 para provar aos Testemunhas de Jeová que Jesus Cristo também é divino, confirma o que afirmamos acima, ou seja, que Echad refere-se a dois iguais e não três:

 

 

Leia de novo! Mark Finley está dizendo que a unidade divina é composta por apenas DOIS seres, como o dia e noite e que formam um único dia e como Adão e Eva que foram duas pessoas, mas uma só carne. O ponto de vista reforça implicitamente a afirmação de que Echad refere-se a uma unidade composta por dois iguais e não três. 

Diante das evidências bíblicas apresentadas, concluímos que, quando a Bíblia cita Deus no plural, refere-se ao Pai e a Seu Filho Jesus Cristo, uma vez que o próprio Cristo afirmou: Eu e o Pai somos um (João 10:30) e Quem vê a mim vê o Pai.” (João 14:9.

 

 

 

Rua 9 de Julho, 1600 - Ipiranga

CEP - 88.111-380 - São José/SC

 (48) 246-8184

VOLTAR

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.